Então é natal!


   Bom, é Natal e não me cabe aqui a hipocrisia. Este texto é sobre o que eu não farei e sobre aquilo que eu não acho.
   Meu intuito inicial era escrever um texto intitulado "O feriado de direita", cujo o conteúdo se tratava dos aspectos que trazem o Natal ao espectro destro. Desde seu fundamento cristão, sua forte raiz familiar e o capitalismo funcionando a todo o vapor, me fizeram ter esta ideia. E me perdoem pela possível arrogância, mas tenho razão.

   Porém, não venho aqui para tratar disso. Eu não poderia macular essa data tão importante com um viés político pobre. O Natal não se trata disso e estaria sendo um porco ideológico com o mínimo de pudor.
   O Natal é mais do que conceituações pseudo-ideológicas. Mesmo que houvessem iniciais estruturas, as definições de direita/esquerda são infinitamente posteriores ao conceito de Natal e às bases morais judaico-cristãs. Por isso não me cabe esse cinismo aqui.
  Também não definirei neste texto, um conceito geral do Natal, não tenho gabarito para isso.
   Mas me exponho aqui, divulgando meus próprios conceitos e definições para a data. Que soe piegas, não terei outra dia para ser.

   Amor.

   Natal é amor. O tão falado pelo cristianismo "amor ao próximo" é consolidado na data de 25 de Dezembro. Não, não seremos hipócritas, não amamos incondicionalmente à todos até em seus defeitos. Não amamos aquele que nesse momento corta o peru. Ou aquele que já tomou quase uma garrafa inteira de vinho seco. Pior ainda o folclórico tio do pavê. Podemos ou não ama-los.
   Mas para que fique claro aqui, cito o conceito do filósofo Mário Ferreira dos Santos sobre o amor ao próximo. Segundo ele, a definição cristã não é amar até os defeitos - esses que devem ser odiados - mas sim, devemos amar todo o potencial de alguém. Amar quem ele não é, quem ela não foi. Amar ao próximo, é sentir amor por quem ele pode ser.
   Natal é isso, ou pelo menos deveria ser.

   Então, esqueça política. Pelo menos hoje.

   Termino aqui com um trecho da música "Merry Christmas (I Don't Want To Fight Tonight)" dos Ramones:

Feliz natal, eu não quero brigar hoje

Feliz natal, eu não quero brigar hoje

Feliz natal, eu não quero brigar hoje com você

Onde está Papai Noel com o seu trenó?

Diga-me, por que é sempre desse jeito?

Onde está Rudolph? Onde está Blitzen, amor?
Feliz natal, feliz feliz, feliz natal
Todas as crianças estão em suas camas
Fadas de açúcar estão dançando em suas cabeças
Briga de bolas de neve é tão excitante, amor
Eu te amo e você me ama
E é desse jeito que tem que ser
Eu te amei desde o início
Porque o Natal não é o momento de quebrar os corações

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.