Eleições EUA 2018




Eleições EUA 2018.

Pois bem, leitor, para você que não está ciente e você que está mais do que eu, hoje, primeira terça-feira de Novembro, esta acorrendo as eleições ao Legislativo e a outros cargos nos Estados Unidos. 
Mas as eleições não foram em 2016? Pois é, lá as coisas funcionam um pouco diferentes. O parlamento (deputados), governadores e outros determinados cargos, tem uma eleição separada da presidencial, sempre após exatos 2 anos. Um sistema interessante pois acaba servindo como julgamento aos 2 primeiros anos do mandato do presidente eleito. Afinal, caso o Presidente eleito nos 2 primeiros anos não faça um bom trabalho, é bem provável que seus aliados do parlamento não tenham um bom resultado.

Porque no Brasil seria valido?

No Brasil temos uma gama de políticos dos mais diversos cargos que decidem, digamos,"trabalhar de verdade" somente nos dois anos restantes do seu mandato. Porque gostam de procrastinar? não, mas sim no intuito de convencer a população na ultima hora, onde a conquista se torna mais intensa para uma possível reeleição ou eleger algum aliado. Tendo em base o modelo americano, temos por exemplo um presidente que desde os primeiros anos vai dar o seu melhor no intuito de eleger seus aliados.

Mas o que essas eleições tem em parecido com as eleições brasileiras?

Veja esta imagem abaixo:


Se trata de uma manchete do The New York Times, uma especie de Folha de São Paulo americana. Sendo um jornal declarado "canhoto", temos as noticias bases que um jornal de esquerda colocaria: A direita perdendo, e as minorias oprimidas (na imagem representada pelos candidatos LGBT).

Agora veja a próxima imagem.



Se trata de uma matéria do InfoWars, Jornal declaradamente "destro" desmentindo com suas alegações pesquisas encomendadas por outros jornais sobre esta eleição.

Mas o que isto nos mostra?

Meu objetivo neste texto não é colocar minha opinião sobre quem esta certo ou errado, mas sim lembrar da similaridade dos meios de mídia de grande parte do mundo com o nosso Brasil. Cada meio declarando indiretamente sua preferência nas eleições. Estão errados? De forma alguma, afinal, diferente do Brasil, estes meios de mídia declaram qual o seu seguimento ideológico (esquerda ou direita), de modo que o leitor sabe qual é o direcionamento do que esta lendo.
Já no Brasil, o leitor que quer buscar uma informação neutra ou até direcionada acaba encontrando uma dificuldade imensa, já que os grandes meios de mídia (salvo alguns), se declaram neutros, quando seu viés ideológico é extremamente explicito.

Isso meus amigos, é o que podemos chamar de uma "manipulação indireta".
E como elas funcionam? Falarei no próximo artigo.


Fontes:



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.