O Mentor Mascarado.





Convido você leitor, a uma breve reflexão.

Imagine que você é dono de uma empresa, isso, você que esta lendo esta matéria. 
Neste caso você contrata Felipe para o cargo de diretor de sua empresa, ficará responsável por todo o controle, desde financeiro até processos.
Pois bem, Felipe, seu diretor, durante alguns anos leva a sua empresa ao êxito, trazendo muitos clientes, mais clientes significa dinheiro, lucros aumentando, logo o seu capital de giro também aumenta, com a estabilidade da empresa você aumenta a média salarial de seus funcionários, de modo que todos ficam felizes e mais motivados, o trabalho passa a ter ainda mais qualidade e você passa a ter tranquilidade.
Você passa a admirar Felipe, pois como diretor, levou sua empresa ao sucesso, o considera não só um funcionário, mas um amigo, uma pessoa em quem contar. Felipe é uma pessoa mais velha que você, de modo que mesmo sendo seu funcionário, se torna uma espécie de mentor, de pai, do qual você compartilha seus sucessos.
Depois de alguns anos, seus lucros começam a diminuir, de modo natural você entende que os lucros são variáveis e dificilmente são sempre progressivos.
Se passa mais um ano e os lucros caem mais ainda, você consulta Felipe para entender o que esta acontecendo, o mesmo informa que devido a crise econômica da moeda, os negócios estão difíceis. Você acredita pois confia no seu mentor e o deixa mais um ano.
No ano seguinte os lucros caem drasticamente, em uma medida desesperada, você cobra Felipe, exige soluções, Felipe pede uma última chance para resolver,  meses se passam e você perde 80% dos seus clientes, é obrigado a demitir uma série de funcionários, os negócios só caem, você perde a cabeça e demite o seu mentor, Felipe, mas já era tarde demais. A empresa entrou em falência, você não tem dinheiro para pagar todos os direitos dos funcionários,  vende bens pessoais, como carro e casa para quitar seus débitos com os funcionários demitidos.
Após a falência você contrata um contador para analisar o demonstrativo da empresa, no meio da analise o contador fica pasmo e informa que você estava sendo roubado, drasticamente todos os meses, quem roubava era Felipe, o mesmo estava rico. Em um ato desesperado você busca Felipe em prol do dinheiro de volta, porém, já era tarde. Felipe tinha partido para uma viagem na Europa, enquanto você, falido, sem empresa, sem condições para o futuro, fica desamparado, ao pensar que já considerou Felipe um mentor e o mesmo te roubou.
A pergunta que te faço leitor:
Você contrataria Felipe de volta? Durante um tempo ele te deu muitos lucros, porém, logo após te roubou e levou sua empresa a falência.
Você o contrataria?

Pois bem, trazendo para a realidade.
Você, Leitor, continua sendo o dono da empresa, o nome da empresa? Brasil.
Quem você contratou para ser o diretor da sua empresa? Os últimos governos.
Os últimos governos te trouxeram prosperidade durante um tempo(ou não), fizeram você acreditar que estava tudo bem, tudo ótimo, fizeram você ter confiança, o governo foi quase um pai, um mentor que te acolhia e dizia que o presente e o futuro eram promissores como nunca, você poderia se apoiar neles pois era garantido. Você fez empréstimos, comprou carro, casa, o mais moderno smartphone e viajou. Neste meio tempo, silenciosamente, foram roubando o seu dinheiro, a sua dignidade, falindo a sua empresa Brasil.
Sempre que você, o dono, questionava, lhe davam uma desculpa e pediam uma nova chance, você deu a chance por respeito aos antigos tempos, e terminaram de falir a sua empresa. Ficaram milionários, enquanto você ferrado até o pescoço, continuou sofrendo e continua até hoje.
A pergunta que te faço é a seguinte:
Você contrataria este governo novamente para a sua empresa Brasil?
Fica o questionamento.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.